David contra Golias?

Carmen Colle garante não nutrir qualquer ressentimento mas não consegue esconder a sua preocupação: a sua pequena empresa têxtil World Tricot trava uma dura batalha com a célebre casa Chanel, sua antiga principal cliente, na qual joga a sua sobrevivência. «O ambiente na empresa é muito tenso. Gostaria de poder assegurar aos meus 20 empregados que tudo vai continuar como antes mas não tenho a certeza», revela Carmen Colle. Especialista nas malhas de luxo, a empresa francesa denunciou no passado mês de Setembro a Chanel por «contrafacção e parasitismo» e «ruptura abusiva de relações contratuais», reclamando consequentemente 2 milhões de euros por perdas e danos. Carmen Colle afirma ter reconhecido uma das suas amostras de malha na montra de uma boutique Chanel de Tóquio em Março de 2005, adiantando que a marca de luxo reduziu drasticamente e «sem razão» as encomendas a partir do final de 2004. A Chanel refuta as acusações, afirmando que «a execução de uma amostra por um subcontratado não lhe permite reivindicar a criação de um modelo» e que o volume de negócios realizado com a Worls Tricot em 2005-2006 é semelhante ao de 1999, ano em que se iniciou a colaboração entre ambas as empresas. A casa de alta-costura francesa reclama 500 mil euros pelo prejuízo causado à sua imagem com este processo. Após várias audiências, o tribunal de comércio de Paris decidiu a 12 de Maio último nomear um especialista que deverá apresentar as suas conclusões até Dezembro. «Poderá levar até um ano», sustenta Solange Doumic, advogada da World Tricot. Para Carmen Colle é uma espera demasiado longa, acrescentando que «as ordens de encomendas praticamente desapareceram. Cerca de 80% da nossa actividade estava ligada à Chanel». A World Tricot contava já com grandes nomes da moda como clientes, tais como Christian Lacroix, Thierry Mugler, Hèrmes e Givenchy. A chegada de Chanel foi uma espécie de última consagração para esta PME criada em 1990 graças a «um cheque de 20 mil francos» (3 mil euros) do padre Pierre, cuja finalidade era criar postos de trabalho para mulheres imigrantes com dificuldades de inserção.