Cortefiel diminui ritmo de expansão

O retalhista espanhol Cortefiel, anunciou que vai abrandar a sua expansão a curto prazo devido à primeira queda nos lucros em 27 anos. A empresa sedeada em Madrid, e mais conhecida pelas marcas Cortefiel, Springfield e Women’s Secret, viu os resultados líquidos para o ano terminado a 28 de Fevereiro de 2002 cairem 42%, de 50,3 milhões de euros no ano anterior para 29,2 milhões de euros, especialmente devido à sua forte expansão internacional. O total dos resultados operacionais baixaram 2%, para 147,6 milhões de euros, enquanto que fora de Espanha aumentaram ligeiramente de 10,7 milhões de euros, para 10,9 milhões de euros. O volume de negócios total para o ano inteiro aumentou 18% para 795 milhões de euros, devido às fortes vendas da Springfield, Women’s Secret e Douglas, que em Espanha são geridas pela Cortefiel como sendo parte de uma “joint venture” com grupo de cosméticos alemão Douglas Holding AG. A Douglas atingiu um crescimento das vendas de 48,2% para 33,2 milhões de euros, seguido pela Springfield e Women’s Secret, que cresceram 42,6% para 331,9 milhões de euros e 38,9% para 62 milhões de euros, respectivamente. As vendas das lojas próprias do grupo subiram 20% para 746,9 milhões de euros. As vendas internacionais, que contribuíram com 30% para o total do volume de negócios, aumentaram 74%. Em Espanha, a empresa registou um crescimento de apenas 5%, devido à substituição da linha de Yves Saint Laurent pela sua marca própria Pedro del Hierro. Em 2001, a empresa abriu 159 lojas, 95 das quais no estrangeiro. O presidente da empresa, Gonzalo Hinojosa, referiu que a Cortefiel vai continuar essencialmente com a sua estratégia de expansão, mas no futuro próximo a entrada em novos países só será feita através de franchisings. Em 2002, os planos da empresa para abrir franchisings em Israel, Rússia e Jugoslávia, assim como 93 lojas próprias, 59 das quais em Espanha e 32 no resto do mundo, vão ser alterados, concentrando-se apenas nos seus principais mercados. Na Alemanha, o segundo maior mercado da Cortefiel logo a seguir a Espanha, a empresa abriu 63 lojas, incluindo a conversão das lojas Werdin no formato da Springfield. A empresa, que adquiriu a cadeia Werdin no verão de 2000, registou na Alemanha vendas de 89,9 milhões de euros, em comparação com os 12,4 milhões de euros em 2000. A Cortefiel que também actua nos formatos da Milano, Don Algodon e Fifty Factory, gere actualmente 726 lojas próprias, 169 franchisings e 24 lojas multimarca em todo o mundo.