Corações ao alto em NY

O outono-inverno 2018/2019 foi anunciado em Nova Iorque, semana de moda que tem as honras de abertura do pronto a vestir feminino. Da despedida efetiva de Carolina Herrera à despedida do calendário tradicional de Alexander Wang, as emoções fortes foram elevadas a tendência na Big Apple.

Calvin Klein

A semana da moda de Nova Iorque assinala o arranque da temporada de desfiles do pronto a vestir feminino, seguida pelas semanas de moda de Londres, Milão e Paris. Eis os desfiles que mais se destacaram dentro do calendário da cidade que nunca dorme, mas já acordou para a próxima estação fria.

Adeus, Carolina

Carolina Herrera

Carolina Herrera apresentou, durante o certame nova-iorquino, a última coleção para a marca epónima, num desfile emotivo de passagem de testemunho. Wes Gordon, até aqui consultor criativo da Carolina Herrera, vai assumir funções de diretor criativo da marca, com Carolina Herrera a desempenar o papel de embaixadora global.

O desfile de despedida, encenado no Museum of Modern Art, homenageou a assinatura da criadora venezuelana: a camisa branca (com a saia comprida e o cinto largo). As modelos desfilaram com a peça-chave e, em contraste, Carolina Herrera apareceu de calças, ao lado da sua equipa criativa. «Não digam que me estou a reformar. Não me estou a reformar, estou a seguir em frente», ressalvou a criadora de 79 anos.

Os 80 de Alexander Wang

Alexander Wang

Alexander Wang, por seu turno, despediu-se nesta temporada do calendário tradicional de desfiles e, ao que parece, decidiu regressar ao passado. O desfile teve lugar nos escritórios da Condé Nast, onde a carreira do designer começou, com a estética da coleção a reavivar as memórias de estilo dos anos 1980. O couro justo ao corpo e a alfaiataria com pormenores metálicos dominaram a passerelle, numa paleta praticamente monocromática.

Há meses, o designer confirmou que havia optado por seguir o calendário das pré-coleções, apresentando as propostas da marca epónima em junho e dezembro. «O nosso cliente será melhor servido através do novo sistema», garantiu a nova CEO da Alexander Wang, Lisa Gersh, em comunicado. A coleção apresentada em junho vai passar a chegar às lojas através de lançamentos estratégicos frequentes (“drops”) entre outubro e março, enquanto os coordenados do desfile de dezembro estarão disponíveis entre os meses de abril e setembro.

Marc Jacobs e o tributo a YSL

Marc Jacobs

Depois das despedidas, o tributo. A coleção outono-inverno 2018/2019 da Marc Jacobs prestou homenagem a Yves Saint Laurent, com uma referência aos últimos anos da carreira do criador francês – evocando as silhuetas de fitting largo e os chapéus pretos de abas largas. Os anos 1980 ajudaram também a enquadrar o alinhamento da marca, com os ombros exagerados em destaque.

As pipocas da Calvin Klein

Calvin Klein

Feita de pipocas, a passerelle da Calvin Klein, conquistou os amantes da 7.ª arte e os amantes da sobreposição. Os coordenados de várias camadas brindaram ao conforto, necessário para uma sessão de cinema caseira. Os looks foram inspirados por heróis como os bombeiros, com as parkas em cor de laranja e amarelo fluorescente de silhueta exagerada a destacarem-se no alinhamento. Os metalizados conviveram com os xadrezes e as lãs grossas com os tecidos de camisaria.

Leggings de luxo na Tom Ford

Tom Ford

Para o outono-inverno 2018/2019, a Tom Ford decidiu fazer das leggings a pedra basilar dos guarda-roupas femininos, com a maioria dos coordenados a fazer brilhar a peça – nas suas diferentes texturas, cores e estampados animais. Combinadas com blazers ou blusões acolchoados, as leggings resgataram ainda algumas tendências dos anos 80, como os brincos XXL e as fitas de cabelo.

O aniversário de Victoria

Victoria Beckham

Assinalando os 10 anos da marca epónima, Victoria Beckham apresentou uma coleção complexa em silhuetas, com ombros exagerados e cinturas marcadas, e em texturas, com os plissados em evidencia no alinhamento. A gabardina foi a peça que mais reinterpretações mereceu, da pele ao estampado animal.