Consumidores vão comprar menos no Natal

Cerca de 40% dos consumidores preveem reduzir compras de Natal este ano, revela a Bain & Company. A tendência é mundial e deve-se, sobretudo, à preocupação com o aumento do custo de vida.

[©Pixabay]

Segundo o mais recente Consumer Health Index da Bain & Company, 40% dos consumidores planeiam reduzir os seus gastos na quadra natalícia deste ano, face à época passada.

«Após um verão robusto, as mulheres estão a recuar mais do que os homens nos gastos», refere a consultora. Na 2023 Retail Holiday Newsletter, a Bain & Company revela que os planos para reduzir as compras no Natal são mais evidentes nas mulheres com baixos rendimentos (50%), e menos acentuados nos homens com elevados rendimentos (24%).

«Não existe um cliente médio hoje em dia. Os principais retalhistas estão constantemente a adaptar-se para responder a necessidades emergentes dos seus clientes-alvo através de ações táticas e estratégicas, desde os mecanismos de interação e resposta em tempo real até à maior personalização. Os retalhistas que brilharem mais nesta época festiva vão permitir que os seus clientes se sentem bem-vindos e que os seus colaboradores na linha da frente se sentem felizes e recompensados pelos seus esforços», afirma, em comunicado, Clara Albuquerque, sócia da Bain & Company.

Quase 70% dos consumidores entrevistados em todo o mundo estão preocupados com o custo de vida, mas a Bain & Company sublinha que há diferenças entre geografias e demografias.

Em termos geográficos, os consumidores franceses estão mais preocupados (77%), enquanto que os consumidores alemães parecem estar menos (64%). «Em todas as geografias, o tempo com os entes queridos tornou-se a prioridade este ano, com os consumidores a afirmarem que estão mais desejosos de experiências comemorativas do que outras atividades, incluindo dar ou receber presentes», indica a Bain & Company.

Questionados sobre quando planeiam começar a comprar, os consumidores dizem que a prioridade passa por gerir as restrições financeiras. Isto é especialmente verdadeiro para as mulheres da Geração X, que estão a reduzir ao máximo os gastos. Este ano, globalmente, 35% dos consumidores começaram a comprar ainda em outubro ou mais cedo, uma tendência que é especialmente pronunciada junto dos mais jovens (39%).

Ao decidir onde comprar, o envio gratuito é importante para os compradores online de todos os grupos demográficos, e as mulheres norte-americanas classificaram os envios gratuitos como o seu principal critério.

Os consumidores da geração Z afirmaram ser mais propensos a recorrer às redes sociais e aos influenciadores para obter sugestões, os Millennials e a Geração X preferem as recomendações de amigos ou de motores de busca e os Boomers dizem que não são facilmente influenciados, pois «compram sempre nos mesmos retalhistas».