Consumidores franceses voltam às compras

O consumo de têxteis e vestuário em França regressou ao verde no mês de março, com um regresso às lojas físicas. Os números do primeiro trimestre, contudo, mantêm-se ligeiramente inferiores aos do mesmo período do ano passado.

[©Unsplash-Mathilde C]

Em março, as vendas de têxteis e vestuário dos distribuidores em França registaram uma subida de 1,4% em valor face a março de 2023, indicam os dados mais recentes do Institut Français de la Mode (IFM). Para isso contribuíram um efeito de calendário positivo (cinco sábados em março em comparação com quatro no mesmo mês do ano passado). «Se compararmos com a situação pré-covid, os valores do volume de negócios em março de 2024 continuam 10% inferiores aos de março de 2019», refere o IFM.

Por canal de distribuição, as cadeias de lojas registaram um aumento de 7,8% das vendas, enquanto hiper e supermercados sentiram uma descida de 5,4%. As vendas nas lojas físicas subiram 4,1%, enquanto as vendas online baixaram 4,9% face a março de 2023.

Em fevereiro, os números foram negativos, dando conta de uma descida de 2,2% nas vendas face ao mesmo mês de 2022. Todos os circuitos de distribuição sofreram uma queda na atividade comercial, com exceção das vendas à distância, que sentiram um ligeiro aumento de 0,4%. As vendas online aumentaram 0,3% durante este mês, enquanto as vendas em lojas físicas caíram 3,1%.

No total dos três primeiros meses do ano, as vendas de têxteis e vestuário em valor ficaram 0,9% abaixo do primeiro trimestre de 2023. Segundo os distribuidores, os volumes vendidos diminuíram, em média, 2,4%, enquanto os preços médios continuaram a aumentar no primeiro trimestre de 2024 (+1,7% face ao primeiro trimestre de 2023).

O ambiente económico em França continua, no entanto, frágil. Embora o INSEE, o gabinete de estatística do país, tenha observado, no primeiro trimestre de 2024, um aumento de 0,4% no consumo das famílias em comparação com o último trimestre de 2023, a retoma «permanece tímida, destacando os desafios persistentes que os distribuidores enfrentam», resume o IFM.

Para o total do ano de 2024, e tendo em conta as expectativas de crescimento de 1% do consumo em geral, o IFM antecipa que o consumo de artigos têxteis e vestuário em França caia 1% em comparação com 2023.