Compras em redes sociais conquistam consumidores portugueses

Um estudo da plataforma de pagamentos e serviços financeiros Adyen revela que 40% dos consumidores em Portugal já usam as redes sociais para fazer compras, seguindo a tendência de outros mercados.

[©Pixabay-Thomas Ulrich]

Segundo a Adyen, em média, os consumidores portugueses utilizam as redes sociais para fazer compras quatro vezes por mês e gastam cerca de 81,27 euros em cada transação. O estudo, que inquiriu 1.000 consumidores e 500 empresas em Portugal, conclui ainda que apenas 8% dos consumidores portugueses afirma ter utilizado as redes sociais para fazer compras pela primeira vez, nos últimos 12 meses.

No Retail Report 2024, a Adyen sublinha o aumento expressivo do chamado social commerce, com a Geração Z a impulsionar o aumento das compras nas redes sociais, tornando-se a geração mais suscetível a fazer compras nestes canais: 48% da Geração Z afirma que o fez nos últimos 12 meses. No entanto, existe também um crescimento nas restantes faixas etárias, que já começam a utilizar estas plataformas para comprar os seus produtos preferidos, com 43% dos Millennials, 40% da Geração X e 30% dos Baby Boomers a fazê-lo.

Quanto aos canais, o Marketplace do Facebook é o mais popular no geral, embora a Geração Z prefira o Instagram. No que diz respeito à loja do TikTok, apesar de estar a crescer em popularidade em termos mundiais, em Portugal foi apenas o terceiro destino de compras mais popular em todos os grupos etários.

Segundo a Adyen, a crescente popularidade de utilização das redes sociais para fazer compras pode dever-se à melhoria da capacidade dos algoritmos, que estão cada vez melhores a prever e a apresentar aos consumidores aquilo em que estes estão realmente interessados, o que possibilita a conversão dos interesses em compras de produtos ou serviços, de forma mais fácil e rápida.

Do lado das empresas, apesar de apenas 22%, a nível global, utilizar o social commerce para vender produtos, 75% afirma que este melhorou significativamente as suas receitas, especialmente nos sectores da moda de luxo (37%), vestuário e acessórios (36%) e saúde (30%).

No entanto, a perceção de falta de segurança quando se fazem compras através das redes sociais é um entrave ao crescimento, com 16% dos consumidores inquiridos a afirmar não utilizar as redes sociais por receio de contas fraudulentas.

«Na Adyen acreditamos que o sucesso das empresas dependerá diretamente do desenvolvimento de uma experiência phygital completa, intimamente ligada à tecnologia, à adaptação do mercado global e à personalização da experiência do utilizador», aponta Juan José Llorente, Country Manager da Adyen para Espanha e Portugal. «Num ambiente cada vez mais complexo de mudanças na regulamentação, de novos métodos de pagamento, do avanço de tecnologias como a IA, de novos concorrentes globais e de novos modelos de negócios, é imperativo ter o parceiro de pagamento certo que seja capaz de se adaptar e que possa trabalhar continuamente para melhorar os resultados dos seus clientes», conclui.