Como era a ITV chinesa

Para Stefan Wengler, presidente da Associação do Comércio Exterior do Retalho Alemão, muitas questões se mantêm em aberto e é com alguma admiração que vê o estudo sobre a indústria têxtil e de vestuário chinesa publicado apenas agora. «A Comissão Europeia há muito que o tinha solicitado a uma empresa de consultoria e o tinha supostamente aprovado em Janeiro de 2005. Desta forma não foi possível analisar no estudo o fim das quotas e a surpreendente reimposição das mesmas. Para além deste factor, os dados mais actuais das 87 páginas em inglês do “Study of China’s Textiles & Clothing Industry and its Market Expansion Strategy” são de 2003. Devido à sua falta de actualidade não é possível retirar consequências das políticas do comércio de têxteis», afirma Wengler. Contudo, na sua opinião, alguns dados do estudo continuam a ser interessantes, uma vez que analisam a, até ao momento, pouco transparente estrutura da indústria têxtil e de vestuário chinesa, pelo menos até 2003. Segundo o estudo, o número de trabalhadores no sector têxtil e de vestuário triplicou passando de 6 milhões no ano de 1980 para 18 milhões em 2003. A malha é a rainha da produção com uma fatia de 62 por cento, correspondendo 31,5 por cento à confecção e 6,5 por cento do total do volume de negócios corresponde às fibras não-naturais. Pela primeira vez, foram apontados os dez maiores produtores de têxteis e vestuário, assim como os seus resultados. De acordo com o estudo, os primeiros três lugares são ocupados pela Weiqiao Textile com um volume de negócios de 72 milhões euros e ganhos de 55 milhões euros, seguida da Shanghai Shenda, com um volume de negócios de 500 milhões euros e ganhos de 13 milhões euros e a terceira posição pertence à Shanghai Dragon cujo volume de negócios é de 330 milhões euros, tendo ganhos na ordem dos 1,7 milhões euros. Entre 2001 e 2003, o grosso do volume de exportações tinha ainda origem em empresas estatais, totalizando os têxteis 14,5 mil milhões de dólares e vestuário 22,6 mil milhões de dólares. As empresas privadas exportaram têxteis no valor de 3,5 mil milhões de dólares e vestuário no total de 4,6 mil milhões de dólares. Nas empresas com filiais estrangeiras, as exportações de têxteis atingiram 8,8 mil milhões de dólares e as de vestuário 18,4 mil milhões de dólares. Foram produzidas 2,6 mil milhões de peças, sobretudo na província de Guangdong no delta do rio pérola e em Zhejiang 2,1 mil milhões de peças.