CmiA, OMC e FIFA apoiam produtores de algodão

A iniciativa Cotton made in Africa (CmiA) apoia agora uma iniciativa conjunta da OMC e da FIFA para integrar os países produtores de algodão da África Ocidental na cadeia de valor mundial de vestuário de futebol.

[©CmiA-Malicky Boaz]

A CmiA é o membro mais recente da iniciativa Partenariat pour le Coton (Parceria para o Algodão), que tem como objetivo promover o sector do algodão e dos têxteis no Mali, Chade, Burkina Faso, Benim e Costa do Marfim, aproveitando o potencial de desenvolvimento económico do futebol nos países produtores de algodão. Em termos práticos, isto significa que os países não só cultivam e exportam algodão, mas também aumentam a atividade empresarial nas fases mais lucrativas do processamento da produção.

A CmiA tem ligações estreitas com muitos países da região, com uma história particularmente longa de cultivo e atividade no Benim, no Burkina Faso e na Costa do Marfim.

Atualmente, a iniciativa trabalha com 20 empresas algodoeiras e quase um milhão de pequenos agricultores em onze países a Sul do Saara. «O tema da produção sustentável de algodão e as preocupações das pessoas da região estão no nosso coração. A fundação desta parceria multilateral por iniciativa da OMC e da FIFA é um passo na direção certa em termos de desenvolvimento de uma cadeia de valor sustentável, desde o algodão cru até ao têxtil acabado, em África», afirma Tina Stridde, diretora-geral da Aid by Trade Foundation (AbTF), uma das entidades fundadoras da Partenariat pour le Coton, que foi estabelecida em fevereiro deste ano na 13.ª Conferência da Organização Mundial do Comércio (OMC) pela diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, e pelo presidente da FIFA, Gianni Infantino.

«Estamos felizes por usar os nossos quase 20 anos de experiência profissional no algodão africano e no comércio têxtil internacional na tarefa de tornar o algodão sustentável rentável para os pequenos agricultores de África e economicamente viável para o comércio», acrescenta.

Além dos membros fundadores – a OMC e a FIFA – o comité da direção da iniciativa inclui a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Comité Internacional Consultivo do Algodão (ICAC).

Para Ngozi Okonjo-Iweala, a fundação desta iniciativa marca uma nova fase de um acordo, celebrado entre a FIFA e a OMC em 2022, que visa abrir novos mercados aos agricultores e produtores africanos de algodão, por exemplo na área do vestuário de desporto.