China planeia diminuir exportações têxteis para a África do Sul

Um responsável do departamento de comércio chinês comunicou no dia 29 de Maio que a China assumiu o compromisso de restringir as exportações de têxteis para a África do Sul. De acordo com a opinião divulgada por diversas fontes de informação, a indústria têxtil da África do Sul tem sido muito atingida pelas importações de produtos têxteis e de vestuário com origem na China. A região de Cabo Ocidental, onde se concentra a indústria têxtil sul-africana, registou uma vaga significativa de encerramentos de empresas e de perdas de postos de trabalho. O acordo para restringir as exportações com destino à África do Sul deverá fazer parte de um corte generalizado na capacidade da indústria têxtil chinesa, o qual já deve estar em implementação, como resultado dos acordos estabelecidos com os EUA e com a União Europeia. Encontra-se planeada a visita do Primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, para o mês de Junho, assim como a visita a Pequim do Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da África do Sul, Aziz Pahad, a qual tem por objectivo estabelecer as bases para uma visita dos responsáveis chineses a sete países africanos. A visita de Pahad tem ainda o objectivo de abordar o encorajamento da China a investir na África do Sul. Ao longo dos últimos anos a China intensificou os seus relacionamentos políticos e económicos com África, enviando diversas e vastas delegações empresariais e políticas para o Continente. A China precisa das matérias-primas africanas, incluindo o petróleo, para alimentar o seu rápido crescimento. Em Novembro deste ano encontra-se planeada uma cimeira entra a China e diversos países africanos. Para mais informação, ver notícias no Portugal Têxtil: África do Sul perde 40% das exportações de vestuário