Charles e Segurança Social de acordo

A Christian Sapatarias, mais conhecida por Charles, chegou finalmente a acordo com a Segurança Social no sentido de regularizar a sua dívida de 1,2 milhões de euros, noticiou o Diário Económico. Em plena reestruturação, a empresa atingiu no último exercício vendas de 22,5 milhões de euros, crescendo 4,25% relativamente ao ano anterior. Por seu lado, os lucros atingiram os 1,8 milhões de euros, aumentando 4.447,5% face ao exercício de 2000. O passivo financeiro da empresa era em 2001 e segundo o DE, de 14,5 milhões de euros. A reestruturação implicou ainda o encerramento em Maio do ano passado da fábrica ICQ – Indústria de Calçado de Qualidade, SA, em S. João da Madeira, ficando assim a produção de calçado confinada à unidade de Arcos do Sardão – Indústria de Calçado, SA, em Vila Nova de Gaia. Conhecida essencialmente pelo calçado, a Charles aposta também no vestuário o qual representa 50% das vendas. Este facto atribui-se essencialmente à associação da dupla de estilistas Paulo Cravo e Nuno Baltazar. Devido ao sucesso desta parceria, Alexandre Vidinha, presidente do conselho de administração da Christian Sapatarias, declarou ao DE que os accionistas vão apoiar os dois jovens na abertura da primeira loja própria. Segundo explicou ao DE Alexandre Vidinha, a estratégia de expansão da Charles aponta para o segmento homem. Até Dezembro contam comercializá-lo em 15 lojas e em 2003 chegar às 24. Tendo lançado recentemente a fragrância Charles, no próximo mês a Christian sapatarias volta a surpreender os clientes com uma linha se óculos de sol, e em Setembro uma colecção de lingerie. Contactada várias vezes pelo Jornal Têxtil, não foi possível obter mais declarações sobre a estratégia de desenvolvimento da Christian Sapatarias.