Chargeurs quer entrar na China

O grupo francês Chargeurs, um dos maiores grupos têxteis europeus, operando em 4 segmentos – lãs, entretelas, revestimentos e tecidos, prepara-se para adquirir ao grupo chinês Ningbo Yak Technology Industrial as suas duas fábricas de entretelas para vestuário com o objectivo de «beneficiar de um posicionamento estratégico na China», tal como anuncia o próprio grupo em comunicado. No entanto, não revelou o montante envolvido nesta transacção. A Chargeurs Interlining, «líder mundial na entretela tecida», afirma ter assinado já «uma carta de intenção» com a Ningbo com vista à aquisição da Ningbo Yinzhou ailang Garment e da Ningbo Yak Kyokuyo Textile, ambas localizadas na cidade de Ningbo, província de Zhejiang, no sudeste do país. Este acordo traduzir-se-á para o grupo francês no «controlo maioritário das vendas, do marketing e da distribuição das entretelas e numa participação minoritária nas actividades técnicas e de produção», refere a Chargeurs, que espera assim apropriar-se do «primeiro lugar no mercado chinês de entretela tecida». Confrontada com a concorrência dos têxteis chineses, a Chargeurs sofreu em 2005 perdas líquidas de 67 milhões de euros (ver notícia PT), um valor mais importante do que previsto, e anunciou em Outubro passado o encerramento de 3 fábricas e a supressão de um quarto dos efectivos na fábrica de Villeneuve d’Olmes (Ariège), a única unidade ainda mantida em território francês.