CASATÊXTIL 2002 reflecte imagem de prestígio dos têxteis-lar portugueses

“Decorridas oito edições da CASATÊXTIL, consideramos que o balanço a fazer é positivo, dado tratar-se de um certame onde a qualidade, o design e a diversidade dos produtos expostos correspondem à imagem de prestígio que o sector dos têxteis-lar português tem quer a nível nacional quer internacional”, refere uma das mais representativas associações do sector, a APT (Associação Portuguesa de Têxteis e Vestuário) a propósito deste evento. De facto, a opinião dos principais agentes económicos a trabalhar neste sector é unânime, dando pareceres positivos à CASATÊXTIL. “Falamos de uma feira que representa ao mais alto nível o sector dos têxteis-lar portugueses”, refere Marta Vaz, directora do certame. Aliás, um sector que tem acompanhado a modernização do país, desenvolvendo a criatividade, investindo na capacidade tecnológica e no aperfeiçoamento das redes de comercialização do produtos. CASATÊXTIL, uma referência a nível internacional Sendo o mercado externo o principal cliente dos produtos lusos, este certame reveste-se ainda de maior amplitude, transformando-se numa montra gigante do “saber fazer português”. A presente edição promete, por um lado, repetir o sucesso da edição de 2001 e, por outro lado, continuar a fazer parte do circuito europeu como uma das feiras de selecção do sector dos têxteis-lar na Europa. “As empresas produtoras e com capacidade de exportação deste sector participam na CASATÊXTIL, porque entendem que é uma forma de promoverem e atraírem novos clientes nos mercados externos e também de manterem um contacto contínuo com o mercado interno”, refere ainda Marta Vaz. Têxteis- Lar portugueses conquistam mercado espanhol O prestígio dos artigos portugueses aliados a uma excelente relação qualidade/preço são características que contribuem para a internacionalização alcançada pelos produtos portugueses, bem como para o aumento da procura estrangeira. Segundo um estudo da delegação do ICEP em Madrid, Portugal é líder incontestado no mercado importador espanhol em vários produtos, entre eles, os têxteis para o lar (41%). Estes produtos encontram-se entre os 20 primeiros que exportamos para Espanha. Ainda segundo o relatório do ICEP, em termos absolutos, Portugal conseguiu aumentar as suas exportações para o país vizinho entre 1999 e 2000, no caso dos têxteis para o lar em mais de 21, 8%. Para melhorar as suas conquistas no mercado espanhol, a indústria portuguesa têxtil-lar terá que saber vencer os muitos concorrentes mundiais – China, Paquistão, França, Índia e Marrocos – que também consideram o mercado espanhol atractivo. Fórum Tendências, um caso de sucesso Mais uma vez, a revista “Casa Cláudia” e a Exponor apresentarão um evento onde os profissionais terão a possibilidade de contactar com as tendências e com a originalidade dos espaços propostos. A directora da revista “Casa Cláudia”, Cristina Cordeiro, quer surpreender, mais uma vez, os visitantes do certame. Assim, no depoimento que presta, apenas levanta uma pequena ponta do véu. “Na sequência de uma parceria de sucesso iniciada em Setembro passado entre a Exponor e a revista “Casa Cláudia”, estamos de volta com novo desafio: a produção do Fórum Tendências da próxima edição da CASATÊXTIL. Respondendo ao convite endereçado por carta a todos os expositores, começaram já a chegar as amostras das mais recentes colecções no âmbito não só do textil-lar mas do textil em geral. Sobre a exposição em si, numa área de cerca de 215 m2, nada revelaremos para já. Direi apenas que contamos com todos para que o evento supere as expectativas geradas na primeira edição. E lancemos mãos à obra”- afirma Cristina Cordeiro, directora da revista “Casa Cláudia”. Concebido para a apresentação privilegiada das principais novidades das empresas expositoras aos visitantes, o Fórum Tendências é já um caso de sucesso. Assumindo-se como uma mostra de criatividade e qualidade, e de acordo com o espírito que lhe está subjacente, este espaço aparecerá recriado com uma nova temática.