Casamento: guia express do dress code

O primeiro segredo para que tenha uma festa feliz é tratar do seu visual sem entrar em pânico. Toda a gente quer brilhar, ser o centro das atenções ou, se possível, ouvir alguém dizer que está fantástica! Mas afinal qual será a melhor opção para fazer furor? As regras são as mesmas há muito tempo, assim como os vestidos – que, diga-se de passagem, não mudaram tanto assim. O importante na hora da “super produção” é o bom senso e uma boa meia dúzia de regras. Anote-as no seu caderno e fique tranquila. Assim estará bem preparada para os casamentos e festas dos próximos 40 anos! Vai ser madrinha de um casamento? A não ser que a noiva exija um vestido longo, opte pelos mais curtos (mas não muito). Caso lhe seja pedido um vestido longo, tenha atenção em alguns detalhes. Lembre-se que no altar quem deve reinar é a noiva. Deixe os decotes para outra festa. Afinal, a discrição nunca ficou mal a ninguém. E não se esqueça que usar branco está mesmo fora de questão! Se o casamento for à tarde, com a festa no final do dia, ou se a cerimónia é menos solene, opte por um modelo mais para o curto, com poucos bordados e brilhos. Os curtos só deverão ser usados quando estiver mencionado no convite “traje social”. Aqui, deverá decidir-se por tecidos mais festivos, brilhantes e bordados. Se a noite é “black tie” ou traje a rigor, não há outra opção que não seja o vestido de baile. Aposte todas as suas fichas na sofisticação de um vestido comprido, com belos decotes e bordados. Apesar de hoje o protocolo estar fora de moda e ser pouco respeitado, o melhor é nunca sair muito destas orientações. Lembre-se que ser o centro das atenções só é bom pelos melhores motivos, e não pelo o ridículo