Casa, objecto de desejo

O salão Maison&Objet, que decorreu de 27 a 31 Janeiro em Paris, contou com a participação de 35 marcas nacionais, a maior representação de sempre, essencialmente dos sectores da fileira casa, têxtil lar, artes de mesa, mobiliário, iluminação, acessórios de decoração e design e artigos de higiene pessoal. Na área dos têxteis-lar, sob o tema “textile”, estiveram as marcas Abyss, Benetton, Coelima, Devilla, Habidecor, Innovar, JMA, Jotabe, Naturapura Ibérica, Têxteis Íris, Torres Novas e a estreante Springbath (Sorema). Alexandra Sinde Monteiro, administradora da Natura Pura, falou com o Portugal Têxtil (PT) acerca da feira. «É uma feira muito boa e, da nossa experiência, é a mais internacional de todas. É visitada por todos os países do mundo e os contactos foram muito numerosos e diversificados, abrindo várias e diferentes perspectivas de negócio. Recebemos visitantes de variadíssimos ramos, desde hotelaria, spas, até lojas de mobiliário, passando obviamente pelos clientes mais tradicionais, como lojas de texteis-lar». A Natura Pura participa com um stand de bebé pela sexta vez e com um stand de têxteis-lar pela segunda vez. Para Alexandra Sinde Monteiro, a feira foi «francamente positiva, tanto no que diz respeito ao volume de negócios, como ao número de contactos, com os nossos stands a serem visitados por clientes recorrentes e por novos clientes. Nota-se uma procura cada vez mais intensa de novidades que façam a diferença nos produtos e por isso a Natura Pura faz grande sucesso. O algodão orgânico é cada vez mais conhecido e o seu símbolo cada vez mais identificado. Fomos bastante elogiados quer pela organização quer pelos visitantes». Falando das outras feiras onde a Natura Pura participa, a administradora referiu, além da participação na Maison&Objet, a participação na FIMI, com a linha criança. «Visitei a última edição da Pitti Bimbo, e estamos a ponderar seriamente a possibilidade de fazermos também esta feira». Quanto a novidades, Alexandra Sinde Monteiro destacou o facto dos produtos da Natura Pura terem sido certificados dermatologicamente pela Pediatria do Hospital de Braga. No próximo ano será a vez de abrirem uma loja em Espanha e continuar a alargar os mercados e a investir nos actuais, nomeadamente, os EUA, Japão, França, Espanha, Grécia, Luxemburgo, Bélgica, e Inglaterra. Por último, a Natura Pura estreou-se no Moditissimo, integrado no Fórum Têxteis do Futuro. O PT também falou com David Sousa, dono da Têxteis Íris, que já participa no salão francês há doze anos, verificando um balanço cada vez mais positivo de edição para edição. «Neste momento já estamos a produzir encomendas realizadas na feira. Este facto é revelador de uma das nossas mais-valias, que consiste em conseguirmos prazos de entrega muito curtos». Em relação a esta edição da Maison&Objet, David Sousa referiu que «as dimensões do stand da empresa permitiu-nos a apresentação muito completa da nossa colecção, que foi muito bem recebida, tendo em conta que o nosso mercado alvo é o pequeno retalho para o segmento alto. De destacar ainda que, desde há dois anos, a organização seleccionou a Têxteis Íris para estar incluída no “Parcours prescripteur”, percurso de visita recomendado, onde constam os expositores seleccionados pela respectiva qualidade dos artigos apresentados». A empresa, além da Maison&Objet, também participa na Interdecoração e na Ceranor, no Porto, na Intergift, em Madrid, na Macef, em Milão, e na Ambiente e na Tendence, em Frankfurt. A Têxteis Íris, com cerca de vinte anos de existência, tem como lema “vestir a casa”. Trabalha essencialmente com linhos, apresentando, em cada colecção, linhas de mesa, com destaque para as toalhas em linho jacquard, linhas de cama, com lençóis, edredões e mantas, linhas de banho, com tolhas de rosto em linho e felpos, e linhas de cozinha, com panos e pegas. As colecções são vendidas em todo o mundo, mas os principais mercados, além de Portugal são os países Europeus, nomeadamente França, Inglaterra, Itália e Alemanha. Quando questionado acerca de novidades apresentadas, David Sousa referiu «quatro novas toalhas de mesa, bolsas de cosméticos para viagens e novos modelos de centros de mesa, um dos artigos mais bem sucedidos das ultimas colecções». Fazendo agora o balanço daquele que é considerado actualmente como um dos salões de decoração e design mais conceituados do mundo, acolheu nesta edição 2.845 expositores (dos quais 35 por cento de estrangeiros de mais de 40 países). O número de visitantes profissionais tenha ultrapassado os 70 mil. Na edição de Setembro 2005 a feira registou 64.700 visitantes, dos quais 65 por cento foram franceses. Como tendência regista-se um aumento dos visitantes estrangeiros face aos franceses. A presença de compradores alemães, espanhóis e holandeses, foi a que registou maior crescimento, contra uma quebra dos compradores italianos e britânicos. A organização da feira registou o regresso dos compradores norte americanos, bem como o interesse crescente por parte de uma nova clientela oriunda dos mercados da Europa de Leste e da Ásia. O perfil dos compradores que visita a feira é o seguinte: retalhistas grossistas, grandes superfícies especializadas e grandes armazéns, 64 por cento, arquitectos, decoradores, designers/estilistas, hotelaria/restauração, agências de design, gabinetes de estudo, 23 por cento () e outros 13 por cento. Nesta edição da feira, o ICEP, através da sua delegação em Paris voltou a apoiar junto da organização do salão as candidaturas de diversas empresas portuguesas que pretendiam expor pela primeira vez. De destacar que a empresa Traços de Mim Decorações Lda – TM Collection ganhou o prémio de criatividade, atribuído pela prestigiada revista de decoração francesa “Coté Sud”. Por outro lado, além da já referida têxteis Íris, as empresas portuguesas incluídas pela feira no “Parcours prescripteur” foram: Habidecor-Abyss, Trading Post, e Luísa Peixoto Design. A próxima edição da feira realiza-se de 1 a 5 de Setembro 2006.