Camas suecas têm etiqueta nacional

A Suécia importou 75,8 milhões de euros de roupa de cama em 2004 correspondendo a 23,7% das importações totais de artigos para o lar. Este valor representa um crescimento de 9,8% face a 2003 e de 75,0% face ao valor importado em 1995 (dada da entrada para a Comissão Europeia) resultando, deste modo, numa taxa de crescimento médio anual de 6,4%. A lista dos principais mercados de origem é liderada pelo Bangladesh com uma quota de 14,6% do mercado de importação ascendendo a 11,1 milhões de euros. De acordo com os dados do Observatório Têxtil do CENESTAP, as importações do Bangladesh cresceram significativamente no último ano (69,9%) em continuidade com o que se verificou nos anos anteriores. Refira-se que em 1995 as importações deste mercado não atingiam mais de 73 mil euros. O Paquistão e a Índia ocupam as posições subsequentes representando, respectivamente, 14,4% e 14,0% das entradas de roupa de cama para o mercado Sueco. Portugal foi o quinto mercado de origem detendo actualmente uma quota de 11,5% a que correspondeu um total importado de 8,8 milhões de euros, mais 5,8% que no ano anterior. Todavia, apesar da recuperação das entradas com origem lusa,Portugal tem perdido quota de mercado nos últimos anos. Relembre-se que, em 2000, o mercado nacional era o principal mercado de origem com um total exportado de 11,8 milhões de euros (ver ficha de mercado elaborada pelo Observatório Têxtil em Janeiro de 2002).A análise do período compreendido entre 1995 e 2004 evidencia o aumento da importância de alguns mercados nas importações suecas, com destaque para a Turquia e para o Bangladesh que passaram de quotas de 0,8% e 0,2% para quotas de 12,3% e 14,6%, respectivamente. Portugal, apresentou ao longo destes anos uma tendência descendente mantendo-se, no entanto, muito próximo dos lugares cimeiros do ranking dos principais mercados de origem. Os dados provisórios disponíveis para 2005 apontam para a manutenção da tendência de crescimento do mercado de importação sueco embora a uma taxa mais moderada, segundo o Eurostat as entradas roupa de cama cresceram 2,2% em 2005 ascendendo a 77,1 milhões de euros. No que respeita aos artigos nacionais, de acordo com os dados provisórios as importações com etiqueta lusa ascenderam 7,3 milhões euros representando uma redução de 15,9% face ao valor provisório de 2004. Destaca-se o forte crescimento das importações do Bangladesh e do Paquistão com taxas de aumento de 28,3% e 13,1% respectivamente. Relembre-se que 2005 ficou marcado pela liberalização do comércio de roupa de cama (categoria 20) e apesar das quotas terem sido repostas a meados do ano, as entradas do Paquistão e do Bangladesh estão livres de quotas aumentando a concorrência aos artigos nacionais. Esta análise é apresentada em ficha de mercado no PortugalTêxtil.com