Boohoo investe em fábrica própria

A retalhista online abriu uma unidade produtiva em Leicester, no Reino Unido, com capacidade para produzir dezenas de milhares de peças de vestuário. O objetivo é também assegurar condições de trabalho e salários justos para quem produz a roupa, algo que nos últimos anos tem afetado a reputação da Boohoo.

[©Boohoo]

O Boohoo Group salienta que a nova fábrica de mais de 2.100 metros quadrados em Thurmaston Lane é «prova do seu empenho para com a cidade de Leicester e para com a produção ética britânica».

A nova unidade, que pode trabalhar por encomenda e tem estamparia própria, deverá criar até 180 postos de trabalho e irá operar com dois turnos. Irá ainda funcionar como uma unidade de formação para as equipas de produto das 13 marcas geridas pelo Boohoo e como exemplo para os fornecedores, com o foco em melhorar as eficiências de produção e operacionais para tornar os seus negócios mais sustentáveis, refere a retalhista.

O Boohoo está ainda em conversações com instituições locais de formação para acolher estudantes e outros grupos interessados em aprender mais sobre a produção de vestuário e sobre a indústria britânica de moda. O primeiro grupo de funcionários recebeu formação paga durante duas semanas e os candidatos ao segundo turno deverão entrar em formação ainda este mês.

John Lyttle [©BBC]
«A localização de Thurmaston Lane reforça o nosso compromisso para com a produção no Reino Unido e a nossa parceria de longo prazo com Leicester», afirma o CEO do Boohoo Group, John Lyttle. «É mais do que uma fábrica, é um centro de aprendizagem e colaboração, já que dá às nossas próprias equipas a possibilidade de trabalhar no terreno e de ver uma fábrica a produzir em primeira mão. Damos as boas-vindas à oportunidade de partilhar esse conhecimento com fantásticas instituições de ensino na cidade e reforçar a nossa relação de trabalho colaborativo com os nossos fornecedores aprovados. É um novo capítulo entusiasmante para o Boohoo Group», explica.

A nova unidade produtiva surge depois do Boohoo Group ter estado no centro de uma polémica em 2020 em relação às fábricas de Leicester que o forneciam, que alegadamente estavam a pagar salários abaixo do razoável aos trabalhadores e a fazê-los trabalhar em más condições.

[©Boohoo]
Desde então, a retalhista online tem estado a tomar medidas para reparar a sua reputação, incluindo publicar a lista de fornecedores internacionais, com 1.100 fábricas, onde constam 10 empresas portuguesas, e nomeou Kirsty Britz como diretora não-executiva para melhorar o seu conhecimento nas áreas de responsabilidade ambiental e social.

Em outubro último apoiou uma nova iniciativa do Reino Unido para responder às necessidades imediatas e futuras dos trabalhadores na indústria de vestuário local, tendo doado 1,1 milhões de libras (cerca de 1,3 milhões de euros) ao Leicester Garment and Textile Workers Trust para o efeito.