Benetton valoriza 63%

Apesar de não ter alcançado resultados brilhantes, a Benetton conseguiu uma valorização surpreendente no último trimestre do ano passado, noticia o jornal Semanário Económico. Conhecida pelas suas campanhas de publicidade provocadoras, a Benetton já não tem a mesma força que tinha há alguns anos atrás. Mas mesmo assim, e segundo o Semanário Económico, desde Outubro de 2001 que os títulos da marca já subiram 62,5%. A estrutura de vendas da empresa italiana sofreu com a forte concorrência de marcas como a Zara e a Mango, por exemplo. O ano de 1997 foi marcado pelo fim do período de forte crescimento dos lucros, com a aquisição da Sportsystems. Segundo a casa de investimentos internacional Goldman Sachs, o mercado está à espera do anúncio da venda da empresa de desporto Sportsystems, sendo que a partir do momento em que a alienação seja anunciada, o título vai reagir positivamente, pois esta tem sido a principal responsável pelo fraco desempenho do grupo. A Goldman Sachs considera que nos últimos cinco anos, a Benetton teve uma valorização em linha com o mercado, devendo a tendência manter-se. Assim, a casa de investimento internacional concorda com a recomendação de “market performer”, considerando que para inverter a estagnação do negócio e voltar a ser um activo com desempenho acima do mercado, a Benetton terá que fazer um esforço de rejuvenescimento da marca para captar novos clientes. Embora a Benetton tenha na distribuição o seu ponto fraco, a casa de investimento internacional acredita que se conseguir ultrapassar esta dificuldade, poderá aumentar o controlo sobre a marca e, consequentemente, levar a uma maior enfoque da estratégia publicitária, introduzir maior flexibilidade na cadeia de produção e dar maior visibilidade aos seus produtos. Finalmente, a melhoria das condições gerais do mercado accionista, especialmente no que diz respeito à confiança dos investidores, poderá levar a uma revisão em alta do “rating” da empresa, apesar de, na opinião da Goldman Sachs, existirem neste momento títulos do mesmo sector com um maior potencial de valorização.