Bebés espanhóis vestidos por China e Portugal

As importações espanholas de vestuário de bebé registaram entre 1993 e 1998 taxas de crescimento sempre acima dos dois dígitos (com excepção de 1994). Em 1999 e 2001 o crescimento não foi tão acentuado, (respectivamente, 4,3% e 2,9%), tendo sido compensado pela evolução patenteada em 2000 (+35,5%); As exportações nacionais têm acompanhado esta tendência. Todavia, é notório que entre 1992 e 2001 as exportações para a vizinha Espanha têm registado uma significativa volatilidade, não impedindo, no entanto, que a quota dos produtos portugueses detida em 2001 seja igual à de 1992. Essa volatilidade atingiu o apogeu em 1999 e 2000, uma vez que no primeiro ano as exportações portuguesas para Espanha decresceram 20%, tendo no ano seguinte duplicado. A China é o principal fornecedor de Espanha no que respeita a vestuário de bebé, tendo exportado, em 2001, 28,8 milhões de euros destes produtos, tendo registado um crescimento significativo entre 2000 e 2001 (+15,0%). Portugal surge na segunda posição com uma quota de 15,2%, mais 0,3 p.p. face a 2000. Portugal trocou de posição com a França, estando este facto associado ao decréscimo significativo das exportações francesas (-35,2%) A análise está disponível em www.portugaltextil.com .