Atacar para ganhar

Apesar da Louis Vuitton ter registado um pequeno crescimento nas vendas dos seus artigos de luxo, na ordem dos 0,2%, o grupo francês LVMH (Louis Vuitton Moet Hennessy), divulgou que o seu lucro caiu 23% só no primeiro trimestre do ano. Comparando o valor obtido com igual período do ano passado – entre Janeiro e Junho –, o lucro da LVHM, em 2008 foi de 891 milhões de euros, enquanto que em 2009 registou 687 milhões de euros. As melhores vendas da LVHM – num acréscimo de 8%– foram obtidas nos artigos de moda e acessórios em couro, com destaque para as botas e bolsas da Louis Vuiton. Por outro lado, os artigos menos procurados no primeiro trimestre de 2009 foram as jóias e os relógios, que registaram um decréscimo de 17%. De acordo com a Federação da Indústria Suíça de Relógios, a exportação do sector caiu 26,4% nos primeiros seis meses do corrente ano. Para contrariar os resultados negativos, a “holding” pretende apostar em três frentes, ou seja, lançar novos produtos, cortar nos custos e investir nos mercados emergentes. A Louis Vuitton, uma das emblemáticas marcas do grupo francês, decidiu investir em parcerias criativas e solidárias. Neste âmbito, a fotografa americana Annie Leibovitz e o artista britânico Damien Hirst juntaram-se à exclusiva lista de artistas convidados para desenharem uma bolsa para a marca icónica do luxo, numa iniciativa que visa recolher fundos destinados à Cruz Vermelha. Marc Jacobs, director criativo da Louis vuitton, concebeu uma espécie de mala de viajem de luxo para os seus cães. Por seu lado, Leibovitz desenhou uma mochila de couro em tons de roxo, com compartimentos para o transporte do equipamento fotográfico. Já Damien Hirst desenhou uma mala de couro preta, pensada para transportar o equipamento que utiliza para criar a sua arte. Estas peças exclusivas serão apresentadas a 17 de Novembro na Sotheby’s, o mesmo dia do 150º aniversário número da Cruz Vermelha Internacional.