As escolhas de Miuccia

A crise financeira mundial afecta todos e desta feita foi Miuccia Prada que deu sinais de preocupação face à situação que atravessa a sua marca própria. Uma situação frÁgil que a estilista tem vindo a tentar contornar com criatividade e muita força de vontade. Estamos a trabalhar duro, fomentando economias até mesmo como conceito mental», afirmou a estilista italiana em entrevista ao jornal La Stampa, acrescentando ainda que a crise faz com que as pessoas trabalhem melhor, uma vez que as passam a concentrar-se no que é fundamental e mais importante, sem entrar em exageros». De igual forma, Miuccia Prada – que é vista como uma das mais inovadoras estilistas do planeta moda, sendo reconhecida pelas suas criações frequentemente vanguardistas, tal como a que foi apresentada em Fevereiro último sob a marca que leva o seu nome e na qual colocou a renda como tema central da colecção – acredita que, com inteligência, conseguirÁ superar esta fase menos positiva e chegar mais além com as suas criações. Querem fazer crer que o luxo verdadeiro é ser conservador, mas nunca foi assim. Somos uma marca antiga e acreditamos que a modernidade tem de ser alcançada a cada passo e colecção apresentadas. Porém, o último objectivo do meu trabalho é transmitir, através da minha marca, o valor de nossa inteligência», explicou a estilista, que tinha intenções de colocar as acções da Prada na bolsa de valores. No entanto, continua à espera que a recente turbulência vivida nos mercados mundiais seja ultrapassada. Talvez não sejamos o tipo certo de empresa para estar na bolsa», sustentou a estilista, que pondera agora voltar à política, Área à qual jÁ se tinha dedicado na juventude, como militante do Partido Comunista Italiano. Quando era jovem fazia política e esta Área contínua a fascinar-me». No entanto, esta mudança de profissão parece ser para mais tarde, talvez quando decida reformar-se da sua actividade de criadora de moda. Poderei eventualmente mudar de profissão mais tarde, mas actualmente para mim, trabalhar com a minha fundação é fazer actividade política, porque estou a fazer e criar cultura», concluiu.