Artistas combatem crise

A empresa de vestuário, acessórios e calçado desportivo Reebok acaba de criar a Affili’art Collection, uma linha de sapatilhas que combina o melhor do mundo da arte e da moda, com um design audaz, da autoria de três artistas de grande influência da cultura pop: Jean-Michel Basquiat, Rolland Berry e John Maeda. «Todos os artistas escolhidos são profissionais com muito talento que, na nossa opinião, podem dar um contributo essencial a uma colecção que pretende ser irreverente e original», revelou a marca em comunicado. Jean-Michel Basquiar é um artista dedicado à prática do graffiti, em Nova Iorque, e que alcançou grande popularidade na década de 80. Trata-se de um ícone criativo da arte moderna que contínua a influenciar as subculturas urbanas. A sua obra destaca-se pelo carácter e relevância cultural. Por outro lado, Rolland Berry é um conhecido criador de Los Angeles. A sua aposta gráfica, combinando materiais e colagens gráficas, deu um look actual aos clássicos modelos Reebok. Este triângulo criativo ficou completo com o reconhecido artista gráfico e visual John Maeda, que é actualmente o presidente da Escola de Design de Rhode Island. O trabalho de Maeda mistura o design e a tecnologia para criar desenhos muito actuais. Desta forma, reinventa o clássico estilo da Reebok mediante a aplicação dos seus gráficos, os quais cria mediante métodos matemáticos. A Reebok aposta, assim, no “street style” através da fusão da arte underground e da moda baseada na cultura pop, para aumentar as vendas dos produtos da sua marca, que foi comprada, há quatro anos, pelo grupo Adidas. Este tinha como meta clara um plano de reestruturação mundial da empresa e a obtenção de lucros. No entanto, o lucro líquido do fabricante alemão de artigos desportivos caiu no primeiro semestre do ano, para 13 milhões de euros, ou seja, um decréscimo de 95% relativamente a igual período de 2008. O volume de negócios entre Janeiro e Junho diminuiu 7%, para 5,034 milhões de euros, em comparação com os 5,142 milhões de euros obtidos nos mesmos meses do ano anterior, segundo informou a Adidas. Esta queda ocorreu em todas as três marcas do grupo, representando 8% na Adidas, 6% para a Reebok, e 1% para a TaylorMade-adidas Golf. Ainda no relatório mundial publicado pelo Grupo Adidas, relativo aos resultados do segundo trimestre, o Brasil é um dos poucos mercados em que a “performance” da Reebok é claramente superior ao desempenho médio do grupo. Isto porque na América Latina as vendas cresceram 24% e a maior contribuição veio da Reebok, no Brasil e na Argentina.