Aquelas máquinas!

A terceira edição dos Prémios de Inovação Texprocess galardoou quatro das soluções tecnológicas mais inovadoras do mercado para a indústria têxtil e de processamento de materiais flexíveis, que permitem maior rapidez, flexibilidade e eficiência na produção.

Os Prémios de Inovação Texprocess 2015 reconheceram, pela terceira vez, as tecnologias mais vanguardistas do sector, com quatro vencedores a receberem o prémio durante a última edição da feira Texprocess, dedicada ao processamento de têxteis e materiais flexíveis, que decorreu em Frankfurt na primeira semana de maio.

Os vencedores foram selecionados por um júri internacional, presidido por Jürgen Brecht, da Marc Cain GmbH, e composto por Katharina Engelhardt, da Adidas AG, Hartmut Rödel, do Instituto de Maquinaria Têxtil e Tecnologia de Materiais de Alta Performance da Universidade Tecnológica de Dresden, Guy Scemama, do IFTH (o instituto francês de têxteis e vestuário), e Kerstin Zöll, da faculdade de Tecnologia Têxtil e de Vestuário da Universidade de Ciências Aplicadas Hochschule Niederrhein.

Na categoria “Nova Tecnologia”, a Veit GmbH foi uma das vencedoras, com a máquina de termocolagem Fusing 4.0. A solução responde às exigências da indústria de lidar com cada vez mais materiais nos ciclos cada vez mais curtos da produção de vestuário. O seu «processo de controlo descentralizado» exige que os parâmetros da termocolagem sejam introduzidos no sistema CAD numa fase inicial da produção para que todas as máquinas na rede possam adequar os processos para um tecidos e peça de vestuário individual.

Equipar os materiais para termocolagem com um código Rfid ou 1D ou 2D significa que podem ser automaticamente identificados pela máquina de termocolagem. Os parâmetros de processamento, como temperatura, pressão e velocidade, são automaticamente estabelecidos, monitorizados e documentados. Isso torna mais simples regular a produção, ajuda a evitar erros por identificação errada e significa que a termocolagem pode ser mantida a um nível consistente em cada máquina. E como todos os parâmetros são registados, o produtor tem prova de consistência de produto a todos os momentos.

«Agradecemos muito este prémio», declarou Günter Veit, presidente do Grupo Veit. «Estamos convencidos que com a Fusing 4.0, estabelecemos o caminho para o futuro do processo de produção», acrescentou.

A máquina de costura que consegue produzir elementos a três dimensões sem operador Vetron Autoseam da Xi’an Typical Europe ganhou também o prémio na categoria “Nova Tecnologia”. Duas câmaras, posicionadas diretamente em frente da agulha, monitorizam os lados das duas camadas de material que estão a ser cosidas a cada ponto que é dado. Rodas corrigem a posição do material para que se mantenha alinhado. O material é alimentado na base através de um processo de costura automatizado e replicável, e substitui a necessidade dos trabalhadores alimentarem e mexerem no tecido durante a realização da costura.

A terceira vencedora nesta categoria foi a Brother S-7300A Nexio, uma máquina de costura com uma única agulha de pesponto duplo com um sistema de alimentação eletrónico integrado e corte de linha automático. O mecanismo de alimentação controlado eletronicamente elimina o ruído do motor e põe fim às longas linhas iniciais e finais, os chamados “ninhos”. O processo de alimentação é ajustado a cada ponto e os comprimentos dos pontos por costura podem ser programados entre 1 e 7 milímetros. Um sensor no calcador deteta a espessura do material que está a ser cosido e fornece automaticamente mais força para empurrar o material, o que melhora a qualidade quando se está a coser partes mais grossas, como costuras transversais.

Já o prémio na categoria “Novo Processo” foi entregue à M-Type Premium, da Dürkopp Adler, uma máquina de costura de triplo arraste que usa um programa de costura para guiar o operador ao longo do processo, cria um mapa visual do progresso alcançado e conta as peças e tamanhos dos lotes pendentes. «Nenhuma outra máquina consegue atingir este nível de qualidade de forma replicável com a mesma produção diária», afirma a empresa.