América rendeu-se aos Têxteis Técnicos

Com organização da Messe Frankfurt Feiras, subsidiária da Messe Frankfurt GmbH, uma das maiores organizadoras de feiras de negócios do mundo, a Techtextil South America 2005 (ver notícia do PT), que decorreu de 22 a 24 de Novembro, no ITM Expo, em São Paulo, contou com a presença de cerca de 3,5 mil visitantes, provenientes de 20 países. A 4ª edição brasileira do evento, considerado como o mais importante do sector dos têxteis técnicos e não-tecidos da América Latina, reuniu 129 expositores, vindos da Alemanha, Áustria, Brasil, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Holanda, Hong Kong, Itália, Letónia, Rússia e Turquia. «Ficamos muito satisfeitos com a edição de 2005 da Techtextil, não só pelo nível de expositores como também o das pessoas que visitaram o certame durante estes três dias. O nosso objectivo é sempre preservar a qualidade do evento para que as empresas tenham a oportunidade de realizar bons negócios, parcerias e contactos», declarou Lígia Amorim, directora-geral da Messe Frankfurt Feiras.De acordo com o calendário mundial da Messe Frankfurt, a próxima Techtextil será realizada nos Estados Unidos (Techtextil North America), de 28 a 30 de Março de 2006. Este próximo certame está a gerar grandes expectativas entre as empresas portuguesas, já que está a ser preparada uma participação nacional organizada pela Associação Selectiva Moda/ATP/ANIL, e que conta com o apoio do ICEP. «Como este evento faz parte de uma nossa estratégia mundial, tivemos o cuidado de os expositores poderem participar em todas as edições, com um espaço de tempo considerável. Por isso, em cada parte do mundo, o período da feira já é previamente fixado, para que nossos clientes possam programar a sua participação com a devida antecedência», sustentou Michael Jänecke, director da Techtextil e Avantex no mundo. Após a edição americana, a feira parte para Xangai, na China (19 a 21 de Setembro de 2006), e, em 2007, regressa novamente à Alemanha (Junho), à Rússia (Setembro) e ao Brasil (Novembro).Novidades do certame A novidade desta edição foi o novo lay-out implantado no ITM Expo. «A circulação única e as ilhas no meio dos corredores deixaram a Techtextil com um formato muito bonito. Merece nota dez! No ano que vem, se as ilhas permanecerem, iremos certamente reservar um espaço aí», afirmou Christiano Delatore, gerente do grupo de não-tecidos da Nordson no Brasil, empresa que tem participado ao longo das 4 edições da Techtextil South America. Outro destaque foi o Projecto Comprador, idealizado pela Messe Frankfurt Feiras, que aconteceu durante os três dias de evento. Segundo Diego Baus, representante da Textile Tecnicos S.A., do México, a feira foi «uma oportunidade única para conhecer pessoas e fazer negócios. Todos os nossos projectos de marketing foram alcançados. A Techtextil South America tem o ambiente perfeito para fazer com que as coisas aconteçam».Produtos marcados pela inovaçãoEm especial destaque estiveram os produtos com propriedades de alta performance, tais como anti-ácaros, e ignífugos, assim como as matérias-primas avançadas para desportos radicais e as indústrias aeronáutica, automobilística e hospitalar A Alpagartas, por exemplo, lançou no evento a persiana anti-ácaro e anti-bolor que, de acordo com a empresa, elimina até 90% dos ácaros. A empresa apresentou também o tecido para impressão digital «Night and Day Sign», que promete revolucionar o mercado da comunicação visual, pois consegue abarcar as impressões com tintas à base de água e de solvente. Com esta inovação, a Alpagartas espera atingir de 7% a 10% do mercado ocupado pelo PVC. A RCA foi outra empresa que apostou na tecnologia anti-ácaro como diferencial na sua participação na Techtextil South America. O novo tratamento anti-microbiano “Ultra-Fresh”, mais conhecido como TRA, pode ser utilizado nos mercados têxteis, de polímeros e outros (como tintas, vernizes, látex, adesivos e dispersões de pigmentos). A aplicação evita a proliferação de bactérias, fungos e ácaros e o diferencial é que o procedimento não causa nenhuma sensibilidade dérmica ao uso. Outro destaque na Techtextil South America 2005 foram os materiais resistentes às altas temperaturas, que podem ser aplicados em diferentes mercados, como o de vestuário (uniformes de alto risco), automóvel, etc. Neste segmento, a Bekaert apresentou tecidos fabricados com fibras de aço inox, resistentes às altas temperaturas e tecidos que possuem propriedades condutoras e dissipadoras. Já a GE Plastic lançou o ULTEM, um produto que age como retardador de chama e possui alta resistência térmica e química. A alemã Herzog mostrou como novidade produtos para as indústrias automobilística e aeronáutica, assim como para o mercado dos desportos radicais. A empresa criou um equipamento 3D especial para a área de segurança nestes mercados, pois é fabricado em fibra de carbono e, por isso, mais eleve e mais resistente do que qualquer metal. Além disso, por ter essas características, proporciona uma substancial economia de combustível e de espaço nas aeronaves. Já as máquinas para torção, bobinagem e entrançado de cordas desportivas estão preparadas para a prática de alpinismo, escalada, etc. Estes produtos, além de serem dinâmicos, são também estáticos e respeitam as mais rigorosas normas internacionais.Os expositores tomam a palavraA qualidade do evento foi sublinhada pelo analista de marketing da brasileira Cedro, Hermelindo Mascarenhas, que se mostrou muito satisfeito, principalmente, com o nível de visitantes. De acordo com o Mascarenhas, tanto as experiências comerciais como as profissionais foram muito válidas para conclusão de novos contratos: «De cada dez pessoas que entraram no stand, seis estavam interessadas em fechar ou iniciar algum negócio», declarou. O analista também ressaltou o fato de ter tido acesso a novas tecnologias, essenciais ao seu negócio. «Está foi a primeira vez que participamos da Techtextil. O mercado dos tecidos técnicos é um mercado novo para nós. Fiquei bem impressionada com a qualidade dos visitantes, os contactos foram muito bem direccionados», revelou Akiko Nishimoto, especialista em Desenvolvimento de Aplicações da GE Plastics. «Acredito que vão surgir da feira novas aplicações para os nossos produtos, e que os profissionais do mercado vão ver a GE Plastics como um grande fornecedor de matérias-primas de alta performance para fibras e filamentos». «Todos os outros fabricantes de não-tecidos deveriam aqui estar. Eu participo sempre, pois acredito na Techtextil como uma boa forma de fazer contactos e alavancar negócios. A nova organização dos stands deixou a feira mais ampla e com a circulação muito prática» sustentou Harry Miklautz, director da Austex.Para os expositores internacionais, o evento foi interessante para conhecer as necessidades do mercado local e realizar negócios. Philipe Lalone, representante do CTT Group, da missão comercial do Canadá, trouxe à Techtextil 13 empresas daquele país e realizou cerca de 30 reuniões por dia, durante o evento, estabelecendo contactos importantes para futuras parcerias entre empresas brasileiras e canadianas, além de observar as perspectivas de novos negócios no Brasil. «O sucesso de nossa participação na Techtextil foi a preparação inicial. Fizemos um estudo de mercadoatravés de uma consultoria especializada brasileira e conseguimos fazer com que os três dias fossem realmente muito proveitosos», explicou. Para a Herzog, o que contou foi o público qualificado. «A feira surpreendeu-me muito, pois as pessoas que estiveram presentes em nosso stand eram muito mais profissionais do que imaginávamos que seriam. Com estes profissionais, conseguimos estabelecer 10 a 15 contactos de negócios», revelou August Herzog, representante da empresa. A mesma opinião teve a alemã Progtex, que elogiou o formato deste ano e disse que a sua presença no Brasil teve grande valia para a empresa. «Gostei da feira e foi muito produtiva para a nossa empresa porque a qualidade dos visitantes foi muito boa. No total, fizemos 25 contactos aqui», reforçou Mathias H. Hagen, director da empresa.«Exportamos para o Brasil há mais de 10 anos. Por isso, é importante estar na feira para mostrarmo-nos aos clientes», declarou EE Cho da coreana Hyosung Corporation. Enquanto que Marcos Ferreira, coordenador de desenvolvimento da Invista afirmou que «gostei da feira. Consegui de 5 a 10 contactos de muita qualidade».«Este ano a feira foi muito mais bonita, muito bem planeada e os stands estavam bem organizados. Achei que a feira foi mais técnica e assim bem focada no mercado, com visitantes de muita qualidade», declarou Ernst Grunewald diretor da Neumag/Fehrer.«A Techtextil é um lugar muito apropriado para os nossos produtos, pois está focada nesse mercado que queremos atingir dos fabricantes de roupas de protecção contra o fogo. Neste ano todos os nossos clientes vieram visitar-nos, o que nos deixou bastante satisfeitos. O novo lay-out da exposição torna a visita muito mais prática. Gostei também da área de exposição em frente ao stand. Além de que possibilitou dividir os custos com outros expositores», explicou Francisco Folgar, director da americana INTER Materials. Além destas, estiveram presentes outras importantes empresas do sector, como as brasileiras Cobafi (Companhia Baiana de Fibras)/Dusa/Kordsa, Gruppo Moissi & Ghisolfi, Ernetex, Akza, Priscell, Diatec, Pfaff, Karl Mayer Malimo, Splend, JRM, Braseq e Weave Nonwovens, as alemãs Fleissner, Dilo System Group e Rex, as italianas Fameccanica e Fil Man Made Group, Lenzing da Áustria, Ritas da Turquia, a chinesa Hanwei, Valmiera Glass da Letônia, a francesa PGI, Radici TNT dos EUA, entre outras.