Ambercycle recebe apoio da MAS Holding

A MAS Holdings, a maior empresa de vestuário do Sul da Ásia, sediada no Sri Lanka, juntou forças com a Ambercycle, com sede em Los Angeles, para aumentar a utilização de materiais reciclados da fibra à fibra.

A colaboração, que envolve um acordo de fornecimento de três anos, reflete a crescente procura por parte de grandes marcas e fabricantes por novos fluxos de materiais de alta qualidade, obtidos através da regeneração têxtil. O acordo permite à MAS reservar capacidade para utilizar o material circular de poliéster cycora da Ambercycle, ao mesmo tempo que a empresa americana de reciclagem acelera os seus esforços para alcançar a produção em escala comercial o mais rapidamente possível.

Um dos principais objetivos da MAS é que 50% das suas receitas sejam provenientes de produtos sustentáveis até 2025.

«Estamos empenhados em revolucionar a criação e a produção de produtos de vestuário e esta colaboração é um marco importante», considera Nemanthie Kooragamage, diretora de negócios sustentáveis do grupo MAS Holdings. «Juntamente com a Ambercycle, a MAS está a facilitar o acesso a materiais de nova geração para os nossos parceiros. Isto permite que as marcas respondam à crescente procura dos consumidores por vestuário sustentável, ao mesmo tempo que cria um impacto ambiental positivo. Esta parceria é um exemplo de como os produtores são um elo crucial na adoção de soluções materiais, e estamos entusiasmados por ter a oportunidade de oferecer a tecnologia da Ambercycle para adoção pelas marcas», acrescenta

Para Shay Sethi, cofundador e CEO da Ambercycle, «os parceiros da cadeia de aprovisionamento desempenham um papel crucial no avanço do nosso trabalho para descarbonizar a moda e minimizar o impacto da extração de matérias-primas no nosso ambiente. Estamos satisfeitos por partilhar o nosso trabalho com a MAS, um dos principais parceiros de confeção no ecossistema global de vestuário».

O poliéster circular cycora da Ambercycle é feito através de tecnologia de regeneração molecular e apresenta a mesma qualidade dos materiais virgens, ao mesmo tempo que reduz as emissões de gases de efeito estufa e a dependência de aterros sanitários ou incineração de têxteis no fim da vida útil. A empresa planeia estabelecer uma unidade de regeneração têxtil de última geração até ao final de 2025, aumentando a produção do cycora.