Alma lusa invade M&O

O salão francês, que decorre de 18 a 22 de janeiro no parque de exposições Paris Nord Villepinte, conta com 2.633 expositores de todo o mundo, dos quais 75 portugueses, divididos pelas mais diversas áreas. Na área dos têxteis, que abrange 8.500 m2 e 170 expositores, estão presentes oito empresas nacionais: António Almeida & Filhos, com a marca Home Concept, Têxteis Íris, Vianatece – estas três apoiadas pela Associação Selectiva Moda –, AMR Internacional, Lasa, Neiper, TM Collection e ACL Impex (The Embassy Collection). Na Vianatece, os desperdícios têxteis ganham nova vida através do famoso tartufo – tapetes e mantas produzidos de forma artesanal –, que volta a estar em evidência na Maison & Objet. «O destaque em termos de produto continua a ser o tartufo, numa paleta de cores alargada ao coral, rosa e azul royal – atualmente já são 30 tons», indica Sérgio Peixoto, diretor da Vianatece. A empresa, que exporta para todo o mundo, da Europa ao Japão, apresenta ainda a linha trança, com destaque para uma alcofa de bebé, já apresentada e aprovada na última edição da Heimtextil. Na Home Concept, a nova coleção aposta nos jacquards, em cetins com brilho e em linhos para criar uma cama que, segundo a marca, reflete a própria alma. «Movidos por uma paixão por apresentar em cada momento soluções únicas, especiais e diferentes, mas práticas, fáceis de usar e perfeitas para todas as casas, a Home Concept desenhou uma coleção de linhas extraordinariamente simples e minimais, mas muito luxuosas e atrativas», explica Ricardo Lemos, administrador da marca da António Almeida & Filhos. Já na Têxteis Íris, o lema para esta edição da feira parisiense é «puro linho». A empresa produtora de roupa de casa em linho, do quarto à casa de banho, passando pelas cortinas, destaca ainda as toalhas de mesa em linho adamascado, um dos seus best-sellers. «Resgatámos do passado as genuínas técnicas do linho adamascado, atribuindo-lhe leveza e suavidade intemporais, com desenhos irresistíveis, culminando numa harmoniosa gama de toalhas de mesa, individuais e centros de mesa, que naturalmente despertam sensações de outros tempos», afirma David Sousa, administrador da Têxteis Íris. Os “outros tempos” são, de resto, uma das tendências para a primavera-verão deste ano, segundo a Maison & Objet, que engloba no “retro futurismo” um regresso ao passado com recurso a motivos vintage e efeitos deslavado, assim como a valorização das rendas e bordados, e a evocação do futuro através da escolha de acabamentos de aspeto brilhante. A feira de decoração de Paris destaca ainda para a próxima estação a tendência do “desenvolvimento desejável”, que se traduz na preferência por fibras naturais cultivadas de forma sustentável, como o linho, bambu, seda natural e cânhamo. As casa de moda que investem em coleções de têxteis-lar regressam também à Maison & Objet, estando confirmada a presença da Roberto Cavalli, Ungaro, Sonia Rykiel, Kenzo e Hugo Boss naquela que é uma das áreas mais luxuosas da feira.