Alemanha lança projeto de recolha de têxteis

Um consórcio com atores de diferentes sectores de atividade do país está a lançar um projeto-piloto para um sistema inteligente de recolha de têxteis e vestuário junto de PME da indústria.

[©Freepik]

A Gesamtverband textil+mode e.V. (a confederação alemã da indústria têxtil e da moda), o Forschungskuratorium Textil (Conselho de Investigação Têxtil), a Stiftung GRS-Batterien (Fundação GRS Batteries) e a empresa de serviços de recolha de baterias GRS Batterien Service GmbH anunciaram que vão utilizar a experiência adquirida com um programa de reciclagem de baterias já estabelecido para criar um sistema de recolha sem fins lucrativos, direcionado para pequenos e médios produtores de têxteis e vestuário.

O lançamento do programa coincide com os planos da União Europeia de impor um esquema de Responsabilidade Alargada do Produtor (RAP) para a recolha obrigatória de resíduos têxteis a partir do próximo ano.

«Com o novo consórcio, estamos a formar uma aliança forte e, sendo um ator-chave, queremos desempenhar um papel fundamental na definição das exigências legislativas. Queremos desenvolver soluções que estabeleçam novos padrões em termos de sustentabilidade e economia circular na indústria têxtil e da moda», afirma, citado pela Ecotextile News, Uwe Mazura, diretor-geral da Gesamtverband textil+mode.

Para Julia Hobohm, diretora-geral da Fundação GRS Batteries, a atual discussão política sobre a responsabilidade alargada do produtor foi vista pelos parceiros do consórcio como uma oportunidade para uma ação proativa e o desenvolvimento de um novo esquema. «A responsabilidade real do produtor requer o estabelecimento de uma organização de responsabilidade do produtor funcional e eficaz e deve ser urgentemente co-projetada pelos produtores», sublinha. «Estamos ansiosos pelo projeto conjunto e pela colaboração», acrescenta.

Para o desenvolvimento do projeto, o consórcio está a recolher contribuições de toda a indústria têxtil e da moda da Alemanha e dos seus 16 centros de investigação têxtil.

«O objetivo é ver os têxteis no fim de sua vida útil não simplesmente como resíduos, mas como uma matéria-prima», destaca Uwe Mazura. «Para isso, muitos desafios técnicos precisam de ser resolvidos. Além de têxteis de alta qualidade e facilmente recicláveis, um número crescente de têxteis de ultra fast fashion e de baixa qualidade de marcas baratas mundiais está a entrar no ciclo de resíduos», salienta. «No projeto piloto, as chamadas organizações de responsabilidade do produtor (PROs) irão garantir que sejam alcançadas as metas de recolha e reciclagem, bem como os processos de reutilização e recuperação de elevada qualidade», conclui.