Agrotêxteis: outra dimensão dos têxteis

Os agrotêxteis estão hoje a ser amplamente utilizados na horticultura e agricultura. Estes têxteis “avançados” são sobretudo fabricados a partir de materiais sintéticos sob a forma de tecidos, malhas ou não-tecidos e aplicados em condições em que são necessárias resistência à tracção e estabilidade dimensional a fim de proteger as plantações das agressões ambientais. O uso de agrotêxteis permite a obtenção de produtos de qualidade superior, melhores produções, menos prejuízos e perdas toleráveis. Também permite que os agricultores utilizem menos pesticidas e herbicidas, reduzindo assim o impacto ambiental. Têxteis anti-granizo Estes têxteis servem de protecção de vinhas, frutos, flores e legumes, reduzindo os danos, tais como o desfolhamento, e permitindo ao mesmo tempo a passagem da luz solar, vital para a saúde das plantas. Estas telas leves são, todavia, sólidas, resistentes ao rasgo e altamente estáveis à exposição da radiação ultravioleta. Em geral, estes têxteis são fabricados a partir de monofilamentos de polietileno sob a forma de malha ou tecido. Estes têxteis também oferecem protecção contra o vento e os pássaros, e podem ser usados para regular a sombra. Têxteis corta-vento Os têxteis para controlar o vento podem melhorar a qualidade da planta já que minimizam os riscos de esmagamento e ressequimento. As árvores abrigadas do vento são geralmente mais saudáveis, atingem o crescimento integral mais rapidamente e geram uma produção mais elevadas. Estes têxteis protegem as culturas e, em alguns casos, a redução da velocidade do vento pode aumentar as temperaturas do pomar. Os têxteis corta-vento travam imediatamente o vento, não atraem os insectos, requerem pouca manutenção e não concorrem, com as culturas, pela água e nutrientes. Além do mais, os têxteis anti-UV permitem uma protecção das colheitas por muitos e bons anos. Geralmente, estes materiais são também produzidos a partir de monofilamentos de polietileno anti-UV, quer em malha quer em tecido. Têxteis contra ervas daninhas A supressão ou eliminação do desenvolvimento de ervas daninhas constitui uma das principais acções de todos os programas de protecção de jardins. Muitos destes programas promovem a suas eliminação manual, assim como no uso de herbicidas e/ou húmus para suprimir ou controlar as ervas daninhas. Muitos jardineiros procuram melhorar a eficácia do húmus orgânico e inorgânico com uma cobertura plástica preta, mas vários estudos revelam que esta prática origina efeitos nefastos para o desenvolvimento da planta. Nos últimos anos, tem-se vindo a usar um novo grupo de materiais sintéticos para combater esta praga. Estes geotêxteis apresentam uma vantagem sobre a folha de plástico na medida em que permitem a troca de água e de ar entre o solo e a atmosfera. Alguns estudos com este material revelam resultados opostos. Embora geralmente seja bastante eficaz no controlo das ervas daninhas sazonais, é deficiente no controlo das ervas daninhas permanentes. Adicionalmente, os produtores recomendam a aplicação de uma camada de húmus na parte superior do geotêxtil por razões de natureza estética, mas tal prática tem resultado em inúmeros problemas, particularmente no caso do húmus orgânico. Têxteis guarda-sol Estes têxteis, obtidos por tecelagem ou tricotagem, proporcionam um microclima para as culturas de flores, plantas decorativas e frutos. Com estes materiais é possível reduzir os custos de irrigação, melhorar as condições de crescimento e evitar a seca do solo Os tecidos são fabricados a partir de monofilamentos 100% polipropileno anti-UV para suportar condições solares extremas. Quanto às malhas, são produzidas com 100% polietileno, também anti-UV, e constituem a melhor escolha graças a uma maior durabilidade e leveza. Têxteis repele-insectos Com demasiada frequência, as culturas de plantas e legumes vêem-se impiedosamente atacadas por várias pragas de insectos, resultando infectadas por numerosos vírus. O uso de tecidos repelentes de insectos permite salvaguardar essas culturas. Estes tecidos podem ser estendidos ao longo das plantações a céu-aberto para que essas pragas não atinjam as plantas, sem qualquer prejuízo para o clima local. Têxteis termo-reguladores As telas para o controlo da temperatura são não-tecidos termoligados à base de poliéster, com a missão de proteger as culturas do frio, da geada e de uma variedade de condições ambientais adversas. Estes tecidos absorvem o calor dos dias solarengos, armazenam-no durante o dia e libertam-no à noite. Além disso, permitem a passagem do ar e da água para as plantas e apresentam uma excelente durabilidade, podendo ser usados durante várias estações.