A&F mantém planos de expansão

A Abercrombie & Fitch (A&F) está a enfrentar um dos seus maiores testes este ano, com o retalhista de vestuário para adolescentes a tentar provar o seu valor aos investidores. A A&F, uma das maiores retalhistas de vestuário para adolescente em termos de vendas, perdeu cerca de 38% do seu valor desde que anunciou, no início do mês, que o crescimento das vendas na Europa está a abrandar. «Todos os investidores estão à espera… Estão a olhar com mais atenção para as vendas da época festiva da Abercrombie», indicou Michael Bigger, fundador da empresa Bigger Capital, à Reuters. O crescimento internacional é outro dos vectores em que a Abercrombie & Fitch está a apostar, apesar da quebra das vendas na Europa, assim como o aumento dos preços nas lojas americanas para tentar mitigar os efeitos dos custos mais elevados. A empresa mantém, assim, o investimento na expansão na Europa, apesar de ter admitido que as vendas nas flagships «abrandaram» no terceiro trimestre. O volume de negócios internacional aumentou 56%, para os 255,7 milhões de dólares (191 milhões de euros), nos três meses até 29 de Outubro, mas manteve-se abaixo do crescimento de 74% registado no segundo trimestre, em que atingiu os 231,9 milhões de dólares. Mike Jeffries, CEO e presidente da empresa, afirmou perante os analistas que «se alguém estiver inclinado a acreditar que um abrandamento do nosso negócio na Europa, neste trimestre, face a graves contrariedades macroeconómicas, é um grande problema no nosso modelo, francamente acho que está a dar muita atenção a detalhes e a não ver o quadro geral». Para provar o seu ponto de vista, a empresa anunciou planos para abrir flagships Abercrombie & Fitch em Amesterdão e Munique, para além das novas lojas planeadas para Hamburgo e Hong Kong. Durante o ano fiscal, a empresa irá ainda abrir 40 lojas Hollister em centros comerciais internacionais. A retalhista, que opera as lojas Abercrombie & Fitch, Abercrombie Kids, Hollister Co e Gilly Hicks, tem fechado nos EUA as lojas com fracas performances e está a focar-se nos mercados internacionais para impulsionar o seu crescimento. Embora a A&F tenha actualmente 1.092 lojas, apenas 78 dessas estão fora dos EUA – e foram atingidas fortemente pelas circunstâncias macroeconómicas, que incluem uma quebra no tráfego de turistas. No terceiro trimestre, a retalhista norte-americano registou um aumento de 1,8% nos lucros do terceiro trimestre, para 50,9 milhões de dólares, com o aumento de 21% das vendas a ser contrabalançado por custos mais elevados. No início do ano, a Abercrombie & Fitch decidiu aumentar os preços no mercado internacional, mas não nas lojas americanas, para ajudar a combater a escalada dos custos. Agora admite, no entanto, que a estratégia falhou e para 2012 espera impor um aumento «modesto» nos preços nas lojas Abercrombie e Hollister nos EUA. A empresa indicou que as vendas nos EUA subiram 14%, para 820,2 milhões de dólares, no terceiro trimestre, com as vendas comparáveis a aumentarem 7% no geral: 4% na Abercrombie & Fitch, 6% na Abrecrombie Kids e 8% na Hollister. «Embora os nossos resultados no terceiro trimestre tenham sofrido o impacto do aumento dos custos em combinação com uma maior incerteza no ambiente macroeconómico, continuamos muito confiantes na nossa estratégia, na força das nossas marcas e na nossa capacidade de criar valor a longo prazo para os accionistas», concluiu Jeffries.