Adolfo Dominguez não atinge expectativas

O retalhista espanhol Adolfo Dominguez S.A., registou um aumento de 1,5% nos lucros líquidos para 3,4 milhões de euros, reconhecendo não ter atingido as expectativas na primeira metade do ano devido às baixas margens e à crise económica da Argentina. Sedeada em Ourense, Adolfo Dominguez, que em finais de Junho tinha 1 004 funcionários e negociava em 200 lojas, fechou na primeira metade do ano duas das suas três lojas na Argentina e afirmou continuar a operar nas restantes lojas apenas para reduzir custos. A empresa abriu 25 e fechou 5 lojas a nível mundial nesse período. As vendas para os seis meses até 30 de Junho de 2002 aumentaram 8% de 52,2 milhões de euros no mesmo período do ano anterior, para 56,4 milhões de euros. O aumento resultou especialmente das elevadas vendas nas suas lojas próprias e franchisings, que registaram aumentos das vendas de 7,9 e 11,8% respectivamente, enquanto as vendas nas lojas multimarca continuaram a abrandar desde 2000. Adolfo Dominguez afirmou no entanto, permanecer confiante de que conseguirá alcançar os 10% de aumento das vendas anteriormente previstos para o ano completo. A empresa, que actualmente gere 102 lojas próprias e 98 franchisings, viu as suas vendas na primeira metade do ano aumentarem 9,4% para 43,2 milhões de euros em Espanha e 4,5% para 9,3 milhões de euros nos países da União Europeia. Na Europa, Adolfo Dominguez tem 34 lojas, a última das quais foi aberta na cidade de Dusseldorf, na Alemanha, no início do mês de Agosto.