62 expositores portugueses na Première Vision

Entre as mais de seis dezenas de presenças nacionais há sete novos nomes: Têxtil António Falcão nos fios, Tabel nos tecidos, Aplical, Limac e Vannel nos couros, Envicorte nos acessórios e Fermir no vestuário.

Paris, capital da moda, fervilha de novas tendências e coleções neste início de 2018. Janeiro celebrou o pronto-a-vestir masculino e a alta costura nas passerelles da Cidade-Luz, fevereiro é o mês em que têxtil conjuga-se com moda, sob todas as formas, do fio ao vestuário, passando pelo tecido, malha ou acessório, sem esquecer o elo que liga toda esta corrente criativa, obviamente o design, em prelúdio aos desfiles de pronto-a-vestir feminino.

Première Vision Yarns

Assumindo-se como a montra da fileira têxtil do mundo e para o mundo, a Première Vision Paris entrou em ritmo festivo antes mesmo de abrir portas. Com efeito, a feira francesa anuncia já um aumento de 1,6% nos expositores em relação à edição homóloga de 2017, ou seja, 1.725 empresas de 50 países, das quais 118 em estreia absoluta.

Première Vision Fabrics

Portugal, em particular, contabiliza 62 expositores, espalhados pelos salões Première Vision Yarns (7 expositores) onde destaca a primeira participação da Têxtil António Falcão, Première Vision Fabrics (31) com a Tabel como novidade, Première Vision Leather (6) em que a nova troika é composta por Aplical, Limac e Vannel, Première Vision Accessories (3) que receberá pela primeira vez a Envicorte, e Première Vision Manufacturing (15, incluindo dois no espaço Knitwear Solutions) que acolhe a estreante Fermir. A Première Vision Paris engloba ainda o salão Première Vision Designs, uma ode à criatividade.

Mas é Itália que ocupa o primeiro lugar no pódio dos expositores, com 657 participantes, bastante à frente do país anfitrião, a França, com 254. O top 10 inclui ainda a Turquia (163), Reino Unido (112) e Espanha (82). Portugal ocupa a sexta posição e depois seguem-se Japão (59), Coreia do Sul (45), China (39) e Alemanha (32).

Première Vision Manufacturing

A grande novidade anunciada para esta primeira edição do ano da Première Vision Paris é a «urbanização» do espaço de exposição, com novos stands assinados pelo designer Ora Ïto (de verdadeiro nome Ito Morabito).  «Trabalhei um microcosmo virtuoso e homogéneo, um recetáculo reinventado onde cada elemento é ecológico, o que se refletiu ao longo de todo o processo de fabricação», explica o designer francês. Para a própria Première Vision, esta criação reúne, «num lugar único», os valores que norteiam a feira: «a busca estética, o acesso às novas tecnologias e a consciência ambiental».

Esta urbanização do espaço estende-se pelos 10 fóruns de moda espalhados pela Première Vision Paris. «Trata-se de uma oferta mais completa e mais concreta», afirma Pascaline Wilhelm, diretora de moda do salão, «Ela abarca tanto o global como o detalhe. Além do mais, propomos, pela primeira vez, uma paleta de cores comum a todos os sectores, uma ferramenta preciosa, técnica e inspiradora», explica Pascaline Wilhelm.